quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Compartilhei esta palavra num culto de oração de quinta-feira, na Comunidade Moriá de Suzano, em 19 de agosto de 2010.


Eu gostaria de falar hoje sobre permanecer, mas permanecer em Deus!

Por uma necessidade humana, a insatisfação se torna algo muito presente na vida do homem! O dicionário diz que a palavra permanecer significa: Ficar (em algum lugar, posição ou atitude) por algum tempo, durar, conservar-se, continuar, continuar a ser...

Mas o que falta ao homem?

Paciência...

O homem em sua natureza não tem paciência para nada! Certa vez ouvi dizer que os recursos são limitados, mas que as necessidades do homem são ilimitadas! Então, podemos entender que por mais que venhamos ter ou fazer, ainda faltará algo!

A Bíblia diz em Provérbios 3.5-6: "Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes (não coloques seus pés) no teu próprio entendimento. Reconhece-o (Senhor) em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas."

Na realidade, sabe o que nos falta? Nos falta confiar em Deus, conhecer a Deus! Então "conheçamos, e prossigamos em conhecer ao SENHOR". Oseias 6.3

Nos falta escolher a Deus!

Em Lucas 10 a partir do verso 38 ao 42, vemos que Jesus foi recebido na casa de uma mulher chamada Marta, que tinha uma irmã chamada Maria, que assentou-se aos pés de Jesus para ouvir a sua palavra, mas Marta estava muito atarefada e perguntou a Jesus: "Senhor, não te importas que minha irmã tenha me deixado sozinha com o serviço? Dize-lhe que me ajude! E respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária; E Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada."

E quantas vezes nós, estamos na casa do Senhor e estamos tão preocupados com tantas outras coisas, que não conseguimos ouvir ao Senhor! E deixamos de fazer como Maria, na hora que o Senhor está falando, não paramos tudo para ouvir essas palavras de vida! Podemos entender que para Maria aquele momento era extremamente precioso e ele precisa ser para nós também!

Em Isaías 26:3 diz: "Tu conservarás em Paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti.". Que os nossos pensamentos estejam em Deus! Que os nossos ouvidos estejam abertos para ouvir a voz do Senhor!

Aonde nós estávamos quando o Senhor criou os céus e a terra?

A Bíblia diz em Mateus 26.41 "Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca."

Zhé Lopes - 19/08/2010

Palavras de quinta: 19/08/2010 - Permanecer em Deus

Read More

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Essa palavra compartilhei num culto de oração de quinta-feira, na Comunidade Moriá de Suzano, em 12 de agosto de 2010.


A palavra de Deus diz: "A vontade de Deus é boa, perfeita e agradável." (Romanos 12.2). Mas até que ponto é agradável para nós?

Ao lermos o livro de Jonas, vemos que Deus o escolheu para uma obra, um propósito e uma missão! Deus disse para Jonas: "Vá depressa à grande cidade de Nínive e pregue contra ela, porque a sua maldade subiu até a minha presença." (Jonas 1.2), mas vemos também que Jonas não se agradou da vontade do Senhor e fugiu para outra cidade. E conosco não é diferente! Quantas vezes Deus tem para nós bênçãos e vida, mas por não parecer atraente aos nossos olhos “carnais”, dizemos não ao querer do Senhor.

Isso não significa que frustramos o plano de Deus, pois como diz Jó 42.2: "Bem sei eu que tudo podes, e que nenhum dos teus propósitos pode ser impedido."

Mas, não é somente na vida de Jonas, que isso aconteceu, podemos ver isso nas nossas vidas também! Quantas vezes eu quis tantas coisas, mas nunca consegui! E com isso não só eu, mas qualquer um que não alcança sua vontade ou desejo se sente frustrado!

Eu já tentei tantas coisas, mas não tive sucesso. Hoje eu entendo, ou ao menos tento entender que não era o tempo!

Certa vez após receber a noticia que não consegui ingressar em algo que tentei, o Senhor ministrou ao meu coração que o meu nome que em muitos lugares eu procurava e não encontrava, o Senhor confortou meu coração dizendo que era no livro d’Ele que meu nome estava!

Ao olharmos para as circunstancias que nos encontramos, muitas vezes questionamos: se a vontade de Deus é boa, perfeita e agradável, porque ela não tem nos agradado?

Entendo que é pelo fato de que nós precisamos ver as coisas que agradem nossos olhos.

"Todavia, como está escrito: "Olho nenhum viu, ouvido nenhum ouviu, mente nenhuma imaginou o que Deus preparou para aqueles que o amam";" (1 Coríntios 2.9)

Voltando ao texto de Jonas; no barco Jonas reconhece que a agitação do mar era por sua causa, então ele pede para que aqueles homens que com ele estavam o lançasse no mar. Quando caiu no mar foi engolido por um grande peixe. E dentro do peixe Jonas começou a orar e adorar ao Senhor! Ele entendeu que não poderia fugir da vontade do Senhor para sua vida!

Então veio pela segunda vez a palavra do Senhor a ele. Dessa vez Jonas obedeceu e foi pregar contra Nínive. Através da pregação dele, Deus tocou o coração do rei que declarou um Jejum em toda a cidade e Deus viu o que eles fizeram e como mudaram seus caminhos, então Deus não destruiu a cidade como havia ameaçado.

Mas Jonas estava descontente e se enfureceu dizendo: "Senhor, não foi isso que eu disse quando ainda estava em casa? Foi por isso que me apressei em fugir para Társis. Eu sabia que tu és Deus misericordioso e compassivo, muito paciente, cheio de amor e que promete castigar mas depois se arrepende. Agora, Senhor, tira a minha vida, eu imploro, porque para mim é melhor morrer do que viver. O Senhor lhe respondeu: Você tem alguma razão para essa fúria?"
(Jonas 4.2-4)

Então, o Eterno disse: "Você sente tanto por uma simples planta ter morrido, mesmo que você não tenha feito absolutamente nada por ela. Você nem ao menos plantou ou regou para ela crescer. Ela surgiu da noite para o dia! Por que, então, não deveria eu sentir pena de Nínive, essa grande cidade com mais de cento e vinte mil pessoas que não conseguem nem diferenciar o certo do errado?" (Jonas 4.10-11)

Diante da resposta do Senhor, precisamos sempre analisar as nossas motivações, "Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração." (Mateus 6.21)

Zhé Lopes - 12/08/2010

Palavras de quinta: 12/08/2010 - Jonas (nós) e a Vontade de Deus

Read More

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

A seguir, mais uma palavra de quinta, que ela seja viva e eficaz!

~ # ~

É impressionante como a palavra de Deus tem resposta para tudo! Ultimamente lendo a palavra do Senhor, eu a tenho visto como um espelho, pois a cada verso que lemos, vemos a nossa imperfeição e quanto nós precisamos do Senhor! Vendo como realmente somos e se olharmos bem, para o espelho sempre terá algo que se pudermos vamos querer mudar. E com a bíblia, a palavra de Deus não é diferente! Ao ler, começamos a reconhecer através do Espírito Santo as coisas que não se enquadram aos padrões de Deus, ou melhor, que diferem da sua vontade!

A palavra do Senhor é extremamente confrontante para aqueles que querem servir e muito mais para aqueles que não querem a seguir. Além disso, para aqueles que vêem o evangelho como algo pesado, a palavra de Deus torna-se dura e difícil de se ouvir, ou ainda de se viver! Se falarmos dos 10 mandamentos, que eram mandamentos de Deus para o seu povo – para o bem do mesmo – mesmo eles tendo ouvido a voz do Senhor – eles pecaram! Eles caíram em erros que o Senhor os advertiu!

Seguir a Deus, seguir seus preceitos é algo muito difícil, mas eu creio que se quisermos servir ao Senhor, precisamos passar por muitas situações que não vão agradar a nossa carne! Além disso, somos amparados pela palavra do Senhor em diversos textos, como aonde Jesus diz que no mundo teríamos aflições, mas que deveríamos ter bom ânimo! E Jesus deixou bem claro que se quisermos alcançar a vida, devemos perdê-la, ou seja, dizer não para as coisas deste mundo!

    Mas nesta noite eu gostaria de compartilhar sobre uma palavra que muito me confronta que está em Mateus 5.43:48.

"Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo, e odiarás o teu inimigo. Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus; Porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos. Pois, se amardes os que vos amam, que galardão tereis? Não fazem os publicanos também o mesmo? E, se saudardes unicamente os vossos irmãos, que fazeis de mais? Não fazem os publicanos também assim? Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos céus."


Esse texto me confronta, pois do que adianta que eu seja uma benção na igreja, no meio dos meus irmãos, sendo que eu não faço nada diferente dos ímpios. Se eu falo somente com aqueles que pertencem a mesma tribo que eu, que são escolhidos como eu! O Salmo de nº. 1 nos adverte a não nos assentarmos a roda dos escarnecedores... mas o ponto é: “Se eu que me chamo filho de Deus, e creio que assim o Senhor me fez... como desejo ir as nações ou até mesmo outros lugares do Brasil para falar de Deus... se eu faço acepção de pessoas?”

Algo simples... na hora de encaminhar um e-mail de piadas, algo engraçado, para me sentir o CARA legal, não faço uma peneira na lista a ser enviada, mas na hora de mandar uma mensagem de Deus, faço uma seleção criteriosa e acabo mandando somente para os meus irmão em Cristo! Aonde fica o de “graça recebemos e de graça devemos dar?”

O que adianta brilhar onde há somente luz? Ou talvez nem brilhar refletir o brilho dos meus irmãos e quando estou só, ou com outros, que não compartilham da mesma fé que nós, agimos como agentes secretos!

Eu não quero ser perfeito, mas eu sei que o Senhor não se agrada disso. E como vou falar do Senhor, se não consigo falar com meus vizinhos?!?! Como eu vou chegar diante de um povo e dizer orem, evangelizem... preguem... fale de Deus para os seus familiares...

Eu entendo uma coisa na sistemática de pregação, que para pregarmos o que vivemos devemos viver o que pregamos... para que de forma profética recebamos as palavras proferidas, para que encontrem terra fértil e gerem vida e frutos, para que assim possamos chegar a poder pregar o que temos vivido!

Zhé Lopes - 05/08/2010

Palavras de quinta: 05/08/2010 - Confronto

Read More

quinta-feira, 29 de julho de 2010


Foi numa noite de quinta-feira, num culto de oração em 29 de Julho de 2010, onde compartilhei a palavra pela primeira na igreja (eu acho?), enfim quero compartilhar aqui também um pouco deste tempo que foi muito bom para mim.
~ # ~

Em toda a palavra do Senhor nós vemos o cuidado de Deus para com os seus filhos.
E tem um texto na palavra do Senhor, para ser mais específico, um versículo que me chama muito a atenção, que está em 2 Crônicas 7.14, é um versículo muito conhecido, mas que eu não conhecia o seu contexto.

O livro de 2 Crônicas começa falando sobre rei Salomão, filho de Davi, um homem dedicado ao seu reino, que era escolhido do Senhor e o Senhor era com ele. O texto descreve ainda as visitas do Senhor a Salomão.
Em uma dessas visitas, o Senhor pergunta a Salomão o que ele quer, que era só ele pedir. E o mais impressionante foi o que Salomão pediu ao Senhor. Ele pediu sabedoria e conhecimento! Diante de uma pergunta dessas, nos nossos dias, seriam tantas as opções de pedidos, dúvidas diversas... mas deveríamos fazer como Salomão fez e pedir ao Senhor o mesmo, sabedoria e conhecimento para lidar com as diversas situações pelas quais passamos; ele fez esse pedido pois sem isso, não seria capaz de governar um povo tão numeroso quanto ele tinha.
Salomão pede ao Senhor que cumpra as promessas feitas a seu pai, Davi. E o Senhor confirmou a sua palavra com relação a vida de Salomão. E no decorrer deste livro vemos o rei no comando da construção da casa do Senhor, conforme o Senhor havia dito que não seria Davi a construir, mas sim o seu filho.

Salomão orava por aquele lugar e quando terminou a casa do Senhor, naquela noite, apareceu o Senhor a Salomão outra vez e disse que ouviu a oração dele e que escolheu a casa que ele construiu! O Senhor faz promessas a ele e ao povo:

"E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra."

Eu creio que essa promessa é para nós também. Ela serve para os nossos dias também. Mas a diferença é se há a disposição de cumprir o que o Senhor pede.

E o Senhor prossegue:

"Porém se vós vos desviardes, e deixardes os meus estatutos, e os meus mandamentos, que vos tenho proposto, e fordes, e servirdes a outros deuses, e vos prostrardes a eles, então os arrancarei da minha terra que lhes dei, e lançarei da minha presença esta casa que consagrei ao meu nome, e farei com que seja por provérbio e motejo – avacalhação – entre todos os povos. E desta casa, que é tão exaltada, qualquer que passar por ela se espantará e dirá: Por que fez o SENHOR assim com esta terra e com esta casa? E dirão: Porque deixaram ao SENHOR Deus de seus pais, que os tirou da terra do Egito, e se deram a outros deuses, e se prostraram a eles, e os serviram; por isso ele trouxe sobre eles todo este mal."
 O Senhor pediu ao povo fidelidade a Ele. Hoje o se dobrar a outros deuses, se refere a tantas coisas, pois aquilo que toma o lugar de Deus, se torna o seu deus. Relacionamentos, dinheiro, trabalho, carreira, sonhos... tomam o lugar de Deus, se não dominamos nossos desejos desenfreados.

A lei foi criada por Deus para que o homem tivesse noção do bem e do mal. Agradar a Deus parecia estar resolvido, de forma simples, obedecendo a Deus e aos seus mandamentos. Mas por causa do pecado, a curiosidade, a tentação, os questionamentos... tudo isso influenciou o homem a abandonar e desobedecer aos mandamentos do Senhor. E hoje nós temos a graça, mas abusamos dessa graça.

Os discípulos de Jesus fizeram uma pergunta para Ele:

Mestre, qual é o grande mandamento na lei? E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas” (Mateus 22.36-40).

Se amarmos ao Senhor acima de todas as coisas, não vamos desobedece-lo. E amando ao Senhor, fazendo o bem, amando ao nosso próximo, estaremos cumprindo a Lei. Pois, iremos respeitar o direito dos outros... o que plantarmos, vamos colher!


Espero que está mensagem seja útil a você!

Se puder medite em: 2 Crônicas do capítulo 1 ao 7.

Um abraço,

Zhé Lopes - 29/07/2010

Palavras de quinta: 29/07/2010 - 2 Crônicas 7.14

Read More

Copyright © 2014 <>< S E R E S P A P E F I C O ><> | Designed With By Blogger Templates | Distributed By Gooyaabi Templates
Scroll To Top